Sabe aquele convite inesperado? O que você nem imagina receber ou se tem uma vaga ideia deixa o gostinho de surpresa e expectativa? Então, essa festa rolou e virou kerb, aquelas festividades alemãs que duram dias só porque ninguém quer largar ninguém. Estamos assim aqui no Bizu, em 2021. E aguenta, coração! A festa começou em março, com data marcada para acabar, ah, mas foi intensa, foi divertida, foi nem tanto, teve quem pediu para sair, teve quem não gostou do cardápio e do povo, teve o lenço compartilhado, o abraço inesperado, o cansaço, o exagero e o silêncio. Teve o grito do hola de quero mais!

Quem foi chegando, se “aboletou” e foi encontrando seu espaço. Outros ouviram dizer e foram na onda. Se é bom, vamos lá ver qual é desse negócio. O que não faz uma curiosidade, hein?! Teve quem chegou timido, pé ante pé. Qual é? Mas gostou da comida e da bebida, das ideias e da conversa. E ficou. Teve quem errou na roupa. Outros acertaram. Mas e daí? O que importa é ser feliz porque ninguém nasce sabendo. Alguns ficaram nos cantinhos, só de “butuca”, de ouvido atento e mente aberta. Outros, só na surpresa e o manter o fôlego já era lucro. A cada novidade, um suspiro. Mas, que o papo tava bom, ah, isso tava. Dá até para contar de algumas figurinhas, mas vou deixar para depois. Vai que dá ciúmes! Teve história para “dar e vender”. E como foi bom circular por entre esses grupos …

Na surpresa de uma dessas noites – ok, ninguém deu vexame, certo! – rolou um cineminha, aqueles alternativos que os personagens são da vida comum, mas de tão ricos, são marcantes. Teve quem chorou, teve quem riu, teve quem se surpreendeu em se ver na telinha. Teve quem narrou e ouviu psiu! Teve quem só observou. Sim, era o filme desse ano maluco, de roda gigante que sobe, que desce, que para lá em cima. E dai, como sai daqui, gente?! O ufa de quando o maquinista resolve o problema, vem seguido da ansiedade. Ih, será que tem de novo? Ah, mas rendeu frio na barriga, risada nervosa, expectativa, o choro é livre e o frisson de estar presente nos melhores e piores momentos de quem é parte da gente.

Opa! Ainda não acabou, produção. Para mãe de recruta o inicio do fim é lá em janeiro. Ou não. Aprendi – entre tantas coisas nessa trajetória do Bizu de Mãe – que o ano para cumprir o Serviço Militar Obrigatório deve ter, no mínimo, dez meses, e não passar dos 12. Salvo para os que engajarem. Então, vamos com calma!

E, curiosa, dei uma espiada no convite. Tinha nome que só tinha uma vaga lembrança – que pena, mas foi como deveria ter sido para o bem de cada convidado. Teve a Alda (Belém); Alessandra (Barueri); Aline (Apucarana); Andrea (Manaus); Andrea (Itu); Angela (Rio de Janeiro); Angela (Piraquara); Bruna (Rio de Janeiro); Caren (Rio Grande), Chiara (Rio Grande); Claudia (Lajeado); Claudiana (Palmas); Cristiane (Rio de Janeiro); Daniele (Rio de Janeiro); Deny (Ponta Grossa); Edileuza (Recife); Eliane (Rio de Janeiro); Elisangela (Barueri); Iara (Porto Alegre); Jana (Ponta Grossa); Jane (Manaus); Jaqueline (Osasco); Joci (Lagoa Vermelha); Juliana (Ponta Grossa); Juliane (São José dos Pinhais); Kelly (São José dos Pinhais); Leia (Campinas); Liliane (São Paulo); Lisiane (Porto Alegre); Luciane (Rio de Janeiro); Márcia (Curitiba); Maria (Curitiba); Monica (Barueri), Maria 2 (Curitiba); Monica (Rio de Janeiro); Nara (Campo Grande), Patricia (São José dos Pinhais); Patricia (São Paulo); Priscila (Joinville); Raphaella (Curitiba); Rejane (Sete Lagoas); Rita (Porto Alegre); Roberta (Palmas); Rosimar (Curitiba); Sandra (Rio Branco do Sul); Sandra (Canela); Simone (Rio de Janeiro); Solange (Curitiba); Sonia (São Paulo); Tatiane (Curitiba) e Waleska (Sete Lagoas). E gratidão por cada convite aceito! Tem quem tem lugar garantido para o próximo evento de 2022. Não sei ainda como será – adoro surpresas! – mas que vai ser bom, ah, vai sim.

Se a festa ainda não acabou – a sessão de cinema tá lá rodando com mais algumas imagens boas – as mensagens têm sido das mais sinceras. O ah! foi bom – ou melhor, ainda está sendo bom – é minha certeza de que organiza bem uma festança de comes e bebes, de ideias, de informação e de puxões de orelhas. Ah, não contei. Mas serei lembrada como “sargento” sem nunca ter sido, só pelo meu jeitinho ….

Como não acabou, meu até logo fica para depois, mas o desejo de muito sucesso, muita saúde, muita paz, muito dinheiro, muito tudo segue com cada uma das convidadas. Aquece meu coração porque missão dada, missão cumprida!

bizu 2021 de Aline R Peres